Home / Blog / A gestão financeira para MEI pode ser simples, basta seguir estas dicas

A gestão financeira para MEI pode ser simples, basta seguir estas dicas

Veja 8 dicas de como fazer a gestão financeira para MEI. Evite misturar dinheiro pessoal com o da empresa, não deixe de emitir notas fiscais e muito mais.

Sem tempo para ler? Que tal ouvir esse texto? Clique no play e ouça a matéria:


A gestão financeira de uma MEI pode ser um mistério para muitos. E isso é completamente normal!

Afinal, se a pessoa começou a empreender pela primeira vez, é natural que tenha dúvidas. E esteja certo de uma coisa, a gestão financeira empresarial nunca seria fácil, mas poderá ser menos complicada, se você seguir algumas regras básicas.

É por isso que selecionamos estas 8 providências que você deve tomar na gestão financeira de uma MEI.

Leia também: Gestão de notas fiscais: 10 coisas que você NÃO pode fazer!

8 dicas de gestão financeira para MEI

1. Regularize sua empresa

Ter uma empresa sem CNPJ significa não ter muita credibilidade diante de seus clientes. Afinal, você não poderá emitir notas fiscais, documento exigido por muitos consumidores. E, dessa forma, se não estiver com sua MEI em dia, poderá ter perda de receitas.

Além disso, sem um CNPJ você será obrigado a gerenciar seus rendimentos sem uma conta corrente, tudo “debaixo do colchão”. O que, além de pouco seguro, dificultaria muito a gestão financeira do MEI.

2. Emita notas fiscais e comprove sua renda

Muitos empreendedores não percebem que evitar passar notas fiscais só trará problemas para o controle financeiro do MEI. Além de não ter um comprovante da transação para uma eventual cobrança de pagamento a prazo, essa prática traz outro problema.

Qual? Conforme for recebendo valores sem as notas fiscais correspondentes, como o MEI irá justificar seus rendimentos? Dessa forma, isso pode impactar em sua declaração de imposto de renda, tanto o Imposto de Renda Pessoa Física como no Imposto de Renda Pessoa Jurídica.

3. Abra uma conta corrente Pessoa Jurídica

Como dissemos, não tem como fazer o controle financeiro de MEI sem uma conta corrente Pessoa Jurídica. Isso é fundamental. Assim, pesquise diversos bancos e veja aquele que traz uma boa opção para você.

Este post de nosso blog tem ótimas dicas: Melhor banco para abrir conta MEI: confira 6 opções e decida sobre qual a melhor opção para o seu negócio

4. Separe as finanças pessoais das empresariais

Esse é um erro muito comum de empreendedores de primeira viagem. Todo dinheiro que ganham fica em uma única conta e vão pagando despesas pessoais e da empresa, sem controle.

Isso nunca vai funcionar! Você simplesmente não vai saber qual é seu verdadeiro lucro, além de comprometer a empresa com o pagamento de gastos pessoais.

Separe um valor que ache justo para ser sua remuneração, um pró-labore, e deposite todo mês em sua conta pessoal. Assim, você fará um bom controle financeiro do MEI.

Veja mais: Como funciona o pró-labore e como usar em sua empresa

5. Lembre-se do capital de giro

Capital de giro é o valor que você gasta todo mês com despesas repetidas, que ocorrem todo mês, como energia, telefone, aluguel e outras. Esse é um conceito muito importante de gestão financeira para MEI.

Se você não sabe como calcular capital de giro, basta somar todas as despesas recorrentes. Assim, no final do mês, verifique se terá esse valor sobrando para o mês seguinte. Isso será excelente para a saúde financeira de sua empresa.

É claro que você não precisa ter esse valor total em caixa, mas precisa ter certeza que haverá recebimentos suficientes para pagar todas essas contas e, além disso, sobrar mais alguma coisa para compra de mercadorias e para seu lucro (é claro!).

6. Muito cuidado ao usar crédito

O fato de ter CNPJ e uma conta bancária te ajuda a ter crédito. Mas ele deve ser usado com todo cuidado. Uma empresa muito endividada compromete sua capacidade futura de ser lucrativa, porque teria muitas contas extras para pagar.

Por isso, pense muito bem antes de fazer empréstimos. Nunca comprometa mais que 10% de seu faturamento com prestações de dívidas. Esse é só um número de referência, pode variar de caso a caso.

Leia mais: Entenda como funciona empréstimo e quais são as opções

7. Leve em conta as despesas fixas e variáveis ao definir preços

Fazer a precificação de produtos ou serviços não é nada fácil. Muitos empreendedores só se lembram dos custos diretos. Por exemplo: se vendem bolos, somam o custo de todos os ingredientes, acrescenta um lucro e definem seu preço.

Isso é errado! Lembre-se de incluir todas as despesas de seu negócio, como o capital de giro, por exemplo, além de outras, como impostos sobre as vendas.

É bem complicado fazer essa conta, mas, de uma forma simples e rápida, dívida a soma de todas essas despesas pelo número de produtos ou serviços que você pretende vender e acrescente ao preço unitário.

8. Use um aplicativo de gestão

O Qipu pode ajudar muito na gestão financeira para MEI. Além de fazer a contabilidade de sua empresa por um preço bem mais em conta, você tem a possibilidade de ter os dados da sua empresa na palma da mão.

Por isso, faça a gestão financeira para MEI com o app Qipu.

Além da gestão financeira para MEI, você também deve pensar no marketing e em seu custo. Por isso, baixe nossa planilha gratuita: PLANILHA - Planejamento de Custo de Marketing

Equipe Qipu

May/4/2020

Contabilidade Online , Contabilidade Online Qipu , Contbilidade Simples Nacional , Simples Nacional , Microempreendedor Individual , Gestão financeira

Compartilhe

Facebook Twitter Linkedin Google+

Não deixe de ler também

BAIXE GRÁTIS O APLICATIVO | Ou acesse a versão web